Alerj vai repassar R$ 150 milhões ao Estado para investimentos em segurança

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT), anunciou, nesta sexta-feira (14/06), durante reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Baixada Fluminense, que o Parlamento vai repassar R$ 150 milhões de seu orçamento anual para o Governo do Estado. No encontro, que aconteceu na Câmara Municipal de Nova Iguaçu, o governador Wilson Witzel elogiou a parceria da Alerj e afirmou que os recursos vão servir para colocar em prática melhorias nas área de segurança, saúde e educação.

Ceciliano destacou que essa é mais uma das ações de apoio do Legislativo ao Executivo. “Nós já tivemos um avanço na área da Segurança, com a contratação de policiais e a doação de carros, e teremos ainda mais na da Saúde”, ressaltou. Segundo o parlamentar, a Alerj vai custear nos próximos dois anos a contratação de mais de três mil policiais militares e civis, a compra de 30 novos blindados compactos, além de financiar reformas em quatro unidades do Instituto Médico Legal (IML) da Polícia Civil.

“Com o trabalho feito pelos deputados, especialmente pelo presidente da Alerj, deputado André Ceciliano, economizando e repassando esses recursos de volta ao estado, poderemos investir em uma área tão carente como é a segurança pública”, reforçou o governador.

Ceciliano destacou que o investimento que a Alerj fará é fruto de uma economia feita pela Casa. “Já fizemos nos últimos dois anos, mas esse ano seguramente vamos economizar ainda mais. Também serão feitas parcerias na áreas da saúde e educação. “Vamos ajudar também o Programa Estadual de Transplantes, que passou por problemas com falta de recursos. Pretendemos ajudar a zerar a fila de transplantes que existe hoje”, adiantou. De acordo com o presidente, em 2017 a Alerj economizou R$ 315 milhões, em 2018 foram R$ 358 milhões. Neste ano a meta é economizar R$ 400 milhões.

Saúde

A população da Baixada Fluminense, com mais de três milhões de habitantes e composta por 13 municípios conta apenas com três hospitais de grande porte, enquanto a capital do estado, com 6 milhões de habitantes, conta com 17 unidades de saúde desse porte. Os dados são do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense (Cisbaf). “A Baixada é a locomotiva do estado e esteve esquecida durante muito tempo pelos governos anteriores. Agora nós iremos lutar por um novo cenário”, destacou o presidente da Frente, deputado Léo Vieira (PRTB).

O governador anunciou ainda a criação de três hospitais na Baixada Fluminense, um hospital geral e dois oncológicos, além da construção de cadeias públicas na região. Também se comprometeu em recompor o efetivo da Polícia Militar. “O objetivo é reduzir a criminalidade na região. Não podemos ter uma segurança pública deficiente”, disse Wilson Witzel.

O prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa, disse que a Baixada atualmente vive um momento diferente. “Durante muito tempo a região, por conta das Unidades de Polícias Pacificadoras (UPPs) recebia um contingente enorme de marginais, inclusive com fuzil, coisa que não existia antes. E hoje, em tão pouco tempo, a gente percebe que é possível mudar essa realidade. A Baixada agradece ao governador e ao Parlamento”, disse.

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS NO SEU EMAIL OU POR WHATSAPP

Mais notícias

O deputado André Ceciliano (PT) cumpriu uma extensa agenda política nesta segunda-feira (16/5) nas cidades

Ceciliano defendeu o protagonismo das universidades para recuperação econômica do Rio As ações do presidente

A Comissão Especial de Acompanhamento do Programa Supera RJ, criada pela Assembleia Legislativa do Estado

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT),

Comissão Parlamentar de Inquérito, presidida pelo deputado Luiz Paulo, vai analisar o compromisso de pagamento

Estado pode ser o primeiro da federação a possuir um plano regional. Medida pretende atrair

 Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta terça-feira (10/05), o Projeto