Ceciliano estuda doação de R$ 30 milhões para centro de fertilizantes

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Presidente do Parlamento também irá apresentar projeto de lei para cria o Plano Estadual de Fertilizantes

O deputado André Ceciliano (PT), presidente da Alerj, vai analisar com os deputados da Casa a possibilidade de doar R$ 30 milhões para a criação de um do Centro de Excelência de Fertilizantes. Os recursos virão da economia do orçamento próprio da Alerj. Ceciliano informou ainda que vai apresentar, na próxima terça-feira (29/03), um projeto de lei que cria o Plano Estadual de Fertilizantes.

“Atualmente, o País importa cerca de 85% dos fertilizantes utilizado aqui. Essa é uma janela de oportunidade para o Rio investir em tecnologia e produção nesse setor. Temos no nosso estado grandes e renomadas universidades, temos vontade de fazer acontecer e também matéria-prima. Um conjunto difícil de reunir. Muitos países não têm matéria-prima, eles transformam. Nós já temos. Brasil é o maior exportador de milho no mundo e só perdemos na produção para os Estados Unidos e a China.Vou levar aos 70 deputados a proposta dessa doação. Não acredito que teremos objeções. O recurso doado será fruto dos R$ 500 milhões economizados pela Casa anualmente”, afirmou o presidente, durante reunião do Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Rio, nesta quarta-feira (23/03).

Parque Tecnológico

O valor estipulado para a criação centro de excelência foi calculado por uma empresa de engenharia contratada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações (Sedeeri), para avaliar o custo da reforma de um prédio desativado no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ).

 

O presidente André Ceciiano participa de reunião virtual ao lado da diretora do Fórum de Desenvolvimento, Geiza Rocha

Na audiência, o secretário de Desenvolvimento, Vinícius Farah, ainda antecipou que o governo está criando um grupo de trabalho para estudar os investimentos nesse setor. “O Rio ter um centro tecnológico específico para fertilizantes é fundamental. Se conseguirmos essa doação do Parlamento, vamos transformar o que hoje é um passivo em um grande ativo para o estado. Já solicitei ao presidente Ceciliano a indicação de um parlamentar para fazer parte deste grupo de trabalho”, complementou Farah.

O diretor-executivo do Parque Tecnológico da UFRJ, Vicente Ferreira, acrescentou que será fundamental revitalizar o prédio. “Vamos aumentar a capacidade da nossa produtividade. Deixo garantido que vamos ajudar no que for possível. Entendemos a importância desse setor no estado”, garantiu Ferreira.

Para o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária(Embrapa), José Carlos Polidoro, o Rio tem o maior ecossistema de inovação favorável para a aplicação dessa tecnologia. “Temos universidades, a Faperj e o parque tecnológico da UFRJ. No País, teremos hubs que vão nos conectar com todas as regiões. Por isso, essa é uma grande oportunidade para o Rio”, afirmou.

Mão de obra qualificada

Para o presidente do Conselho Regional de Química do Rio, Rafael Almada, o estado conta com uma mão de obra qualificada e com potencial para investir em fertilizantes orgânicos, uma tendência mundial, segundo ele. “Temos uma forte formação no estado desses profissionais. Dos 216 mil químicos formados no país, 26 mil estão no Rio. Além disso, todas as formações da área química podem ajudar na construção dessa política, principalmente os fertilizantes orgânicos, que têm crescido muito. Temos um papel essencial nessa produção”, disse.

Plano Nacional

Aproveitar o lançamento do Plano Nacional de Fertilizantes (PNF), divulgado pelo Governo Federal, para reduzir a dependência do Brasil das importações de fertilizantes e impulsionar o Rio, também foi sugerido na reunião. “O plano traz uma série de medidas visando ao aumento da produção até 2050 e o estado fluminense tem muito para crescer com esses investimentos. Usar a UFRJ para que essa dependência diminua é muito inteligente. Lembrando que os investimentos para esse setor são altos e a maturação leva entre dois a três anos”, concluiu o diretor de Projetos Estratégicos da União, Bruno Caligari.

Também estiveram na reunião os deputados Luiz Paulo (PSD) e a deputada Célia Jordão (PL).

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS NO SEU EMAIL OU POR WHATSAPP

Mais notícias

O deputado André Ceciliano (PT) cumpriu uma extensa agenda política nesta segunda-feira (16/5) nas cidades

Ceciliano defendeu o protagonismo das universidades para recuperação econômica do Rio As ações do presidente

A Comissão Especial de Acompanhamento do Programa Supera RJ, criada pela Assembleia Legislativa do Estado

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT),

Comissão Parlamentar de Inquérito, presidida pelo deputado Luiz Paulo, vai analisar o compromisso de pagamento

Estado pode ser o primeiro da federação a possuir um plano regional. Medida pretende atrair

 Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta terça-feira (10/05), o Projeto