Aos 200 anos, Grande Oriente do Brasil é homenageado com a Medalha Tiradentes

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Foto: Julia Passos / Alerj

Em comemoração aos 200 anos do Grande Oriente do Brasil (GOB), instituição maçônica mais antiga do país, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realizou sessão solene nesta terça-feira (26/04) para entregar a Medalha Tiradentes, maior honraria do Parlamento fluminense, ao Grão-Mestre Geral Adjunto do GOB, Ademir Cândido da Silva, e ao Grão-Mestre do GOB/RJ, Aildo Virgílio Carolino. A homenagem foi proposta pelo presidente da Casa, deputado André Ceciliano (PT), em reconhecimento aos serviços prestados à humanidade, à pátria e à sociedade do Rio de Janeiro.

“A maçonaria faz parte do momento da Independência, da Abolição da Escravatura e de momentos históricos do país. A maçonaria a gente faz no dia a dia, é harmonia, é cuidar de quem mais precisa, é tratar bem as pessoas. A maçonaria tem um papel belíssimo na nossa história e para mim é uma honra homenageá-la”, disse o parlamentar.

Um dos homenageados, o Grão Mestre Adjunto do Grande Oriente do Brasil Ademir Cândido da Silva, destacou os ideais maçônicos presentes ao longo do bicentenário da instituição. “É uma satisfação participar dessa homenagem, que enaltece não só os gestores dessa instituição, mas também todos os 75 mil irmãos espalhados por 3 mil lojas instaladas em cada estado da federação. Nesses 200 anos, retornamos à data da sua fundação para reverenciar o espírito marcante dos emancipadores e libertários. É com esse espírito que o maçom de hoje define aqueles ideais que preservam a moral, a ética, a legalidade e a família”, apontou.

Durante a cerimônia houve a apresentação de músicas da cultura escocesa pelos Gaiteiros de Fole da Brazilian Piper de São Gonçalo, sob a regência do Maestro José Paulo Filho. Esteve presente na homenagem o deputado Rodrigo Amorim (PTB).

Grande Oriente do Brasil

Criado em 17 de junho de 1822 por três Lojas do Rio de Janeiro – a Commercio e Artes na Idade do Ouro, a União e Tranquilidade e a Esperança de Niterói, resultantes da divisão da primeira – o Grande Oriente Brasileiro teve, como seus primeiros mandatários José Bonifácio de Andrada e Silva, ministro do Reino e de Estrangeiros, e Joaquim Gonçalves Ledo, Primeiro Vigilante.

Com aproximadamente 2.000 lojas, cerca de 61.500 obreiros ativos e reconhecido por mais de 100 Obediências regulares do mundo, o Grande Oriente do Brasil é a maior Obediência Maçônica do mundo latino e reconhecida como regular e legítima pela Grande Loja Unida da Inglaterra, de acordo com os termos do Tratado de 1935.

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS NO SEU EMAIL OU POR WHATSAPP

Mais notícias

Através da Lei 9.515/21, parlamento doou R$ 20 milhões pra restruturação do arquivo municipal e

Embora o Rio de Janeiro produza quase 70% do gás natural do país, Governo federal

A histórica Fazenda Campos Novos fica localizada em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O

O deputado André Ceciliano (PT) cumpriu uma extensa agenda política nesta segunda-feira (16/5) nas cidades

Ceciliano defendeu o protagonismo das universidades para recuperação econômica do Rio As ações do presidente

A Comissão Especial de Acompanhamento do Programa Supera RJ, criada pela Assembleia Legislativa do Estado

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT),