Ceciliano assina convênio para restauração do Solar do Colégio, em Campos dos Goytacazes

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Através da Lei 9.515/21, parlamento doou R$ 20 milhões pra restruturação do arquivo municipal e R$10 milhões para novo campus da UENF

O deputado André Ceciliano (PT), presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), participou da assinatura do convênio, com a Prefeitura de Campos dos Goytacazes e a Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), para reestruturacao do Solar do Colégio, prédio centenário que abriga o Arquivo Público Municipal Waldyr Pinto de Carvalho. A restauração será custeada com uma doação de R$ 20 milhões economizamos do orçamento do parlamento. O documento foi assinado nesta quinta-feira (19/05) durante solenidade no Palácio da Cultura, em Campos, em comemoração dos 21 anos do Arquivo Público.

“Essa ajuda da Alerj foi aprovada por unanimidade para preservar toda a memória do Estado do Rio de Janeiro.É muito importante manter a nossa memória. A Alerj está sendo parceira não só de Campos dos Goytacazes,mas de todos os municípios Fluminense”, comentou Ceciliano, co-autor da Lei 9.515/21, que também destinou R$ 10 milhões da doação para construção de um novo campus da UENF em Cabo Frio.

Localizado na Baixada Campista de Campos, o Solar do Colégio foi construído pelos Jesuítas no século XVII. Ele é o prédio mais antigo de Campos e foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Desde 2000, o solar passou a abrigar o Arquivo Público Municipal, em parceria com a UENF e supervisionado pelo Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro (APERJ).

Wladmir Garotinho, prefeito de Campos dos Goytacazes, disse que o apoio da Alerj é essencial para o desenvolvimento de toda a região do Norte Fluminense. “O arquivo é um patrimônio de toda a cidade e do Estado. Hoje, através deste convênio, nós vamos conseguir contratar os melhores profissionais. O Ceciliano é um grande apoiador da cultura e da nossa história, assim que nós sugerimos o projeto, ele colocou em pauta”, comentou o prefeito. 

Natural da região do Norte Fluminense, o deputado Bruno Dauaire (União) disse que é uma alegria festejar o aniversário do arquivo com este investimento. “Isso é resultado de um estorco conjunto dos parlamentares, da gestão da Alerj, da prefeitura de Campos e da UENF, que vai executar a obra de restauração”, afirmou. 

Durante o evento, Ceciliano também se comprometeu a articular investimentos na recuperação dedois importantes equipamentos da cidade, o Solar dos Airizes e o Museu Olavo Cardoso, seja através de recursos do Tesouro Estadual ou de emendas à Lei Orçamentária de 2023. 

Memória de Campos e do Brasil será digitalizada

Além de restaurar o espaço histórico, a doação da Alerj vai possibilitar a compra de equipamentos para digitalizar o acervo de documentos, que em breve poderá ser acessado por todo o mundo, como destacou a diretora da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima,  Auxiliadora Freitas. “Eu quero muito agradecer à Assembleia por essa doação que vai permitir a revitalização do nosso arquivo, que tem uma importância histórica não só para a nossa cidade, como para o estado e todo o país. A história do Brasil passou por aqui”, comentou Freitas.

Fazenda histórica vai atender a população

Futuro campus da UENF, a Fazenda Campos Novos, em Cabo Frio, foi fundada em 1648. Construída sobre um sambaqui, ela conta com importantes e raros exemplares de arquitetura rural jesuítica. “Por aqui, passaram nomes como Charles Darwin e Dom Pedro. Esse é um patrimônio que agora será recuperado para ser não apenas um ponto turístico mas também de conhecimento científico que vai beneficiar toda a sociedade”, comentou o presidente da Alerj em visita ao local na última segunda-feira (16/05).

Com R$ 10 milhões da doação da Assembleia, o prédio histórico vai passar a abrigar cursos de extensão voltados à população local, incluindo projetos de agricultura familiar e empreendedorismo, além de um centro de memória da política afro-brasileira. A instituição informou que está preparando um projeto de execução das obras antes de abrir o processo licitatório. Toda a obra será acompanhada pelo IPHAN.

“Com essa doação, nós vamos também restaurar essa fazenda histórica, que é outro patrimônio de uma riqueza muito grande, de muita importância para os munícipes de Cabo Frio e todo o povo Fluminense”, comentou a vice-reitora da UENF, Rosana Rodrigues. 

A cerimônia contou ainda com abertura da Exposição “Cinco séculos de história: o açúcar e a formação histórico e cultural dos Campos dos Goytacazes” e a palestra “Demarcação dos territórios de poder no pós-independência: a criação da comarca de Campos dos Goytacazes e o acervo do Arquivo Municipal Waldir Pinto de Carvalho”, proferida pela professora adjunta do curso de História da UFF Claudia Atallah

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS NO SEU EMAIL OU POR WHATSAPP

Mais notícias

Único prefeito do Partido Socialista Brasileiro (PSB) no estado do Rio, o petropolitano Rubens Bomtempo

Presente no ato, Marcelo Freixo lembrou que deputado não largou o PT  “nos momentos mais

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou em discussão única, nesta

Projeto aprovado em plenário inclui consumidores comerciais, como MEIs e microempresários, além de possibilitar anistia

Nesta quinta-feira (23/06), foram sancionadas quatro leis de autoria do deputado André Ceciliano (PT)  que

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, em discussão única, nesta

“Sempre estive no Partido dos Trabalhadores, não me vejo em outro partido.” Essa foi uma